Santa Filomena em Portugal

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon

2024-06-30

13º Domingo do Tempo Comum – Ano B 2024


Leitura da 2ª Epístola de São Paulo aos Coríntios
(Cor 8, 7.9.13-15)


Ideia principal: O apoio material à Igreja de Jerusalém, é um gesto de amor que nasce da generosidade ensinada e praticada por Nosso Senhor, que nos convida a tornar a nossa um dinamismo de amor.
- Já o referimos nos domingos anteriores em que, como hoje, lemos trechos da 2ª Carta de São Paulo aos Coríntios: pregadores cristãos de tendência judaizante e alguns coríntios influentes, acusam Paulo de pregar uma doutrina que não estava em consonância com o Evangelho; ele aproveita a acusação para propor aos coríntios, tal como já o fizera às igrejas da Ásia Menor, da Macedónia e da Acaia, uma coleta para ajudar os “pobres” de Jerusalém. Como quem diz: deixemo-nos de coisas sem importância e vamos ao essencial.
- Ainda hoje se passa isso nas nossas comunidades… quando se pedem orações pelos necessitados, ou se programar novas estratégias para a pastoral, ou se criam órgãos de governo na comunidade, tudo corre sobre rodas. Porém, quando se trata de levar a mão à carteira para a partilha de bens, já é mais difícil!!!
- A fome crónica que vem do tempo do imperador Cláudio (anos 45 e 48), afetou muito a Judeia. Paulo pede aos cristãos de Corinto que partilhem os seus bens com os irmãos de Jerusalém. Duas razões: o exemplo de Cristo que, sendo rico se fez pobre para a todos enriquecer; os bens são dom de Deus para repartir por todos. Será este Evangelho que Paulo prega, diferente daquele que os Apóstolos pregaram?


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Senhor Jesus, deixaste claro que partilha generosa não é algo que o Teu discípulo possa fazer ou não fazer… A partilha é uma “graça que Deus concede”, um “serviço” em favor dos irmãos, uma “obra da caridade”. Senhor Jesus, que me chamaste a ser discípulo da “escola” da qual és o Mestre… dou graças por me teres ensinado a encarar a vida como um dinamismo de amor. Não permitas que eu Te desiluda, ó Jesus! Amem.


LEITURA II – 2 Coríntios 8, 7.9.13-15


Irmãos:
Já que sobressaís em tudo
– na fé, na eloquência, na ciência,
em toda a espécie de atenções e na caridade que vos ensinámos –
deveis também sobressair nesta obra de generosidade.
Conheceis a generosidade de Nosso Senhor Jesus Cristo:
Ele, que era rico, fez-Se pobre por vossa causa,
para vos enriquecer pela sua pobreza.
Não se trata de vos sobrecarregar para aliviar os outros,
mas sim de procurar a igualdade.
Nas circunstâncias presentes,
aliviai com a vossa abundância a sua indigência para que um dia
eles aliviem a vossa indigência com a sua abundância.
E assim haverá igualdade, como está escrito:
«A quem tinha colhido muito não sobrou
e a quem tinha colhido pouco não faltou».