Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon

2020-09-27

XXVI Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leitura da Epístola de São Paulo aos Filipenses (Filip 2, 1-11))


Ideia principal: Cristo, sendo Filho de Deus, fez-Se servo, ensinando-nos o amor, o serviço e a entrega da vida por amor. Os cristãos são chamados por Deus a seguir Jesus e a viver do mesmo jeito.
- Filipos, colónia romana situada na Macedónia setentrional, era, na sua organização, uma espécie de pequena Roma, habitada maioritaria-mente por veteranos do exército romano que gozavam, eles e os outros filipenses, dos mesmos privilégios dos habitantes das cidades de Itália. Da evangelização de Paulo, resultou uma comunidade cristã viva, piedosa e generosa, mas longe de ser uma comunidade perfeita…
- Os patrícios romanos que integravam a comunidade, eram altivos, isto é, orgulhosos, auto-suficientes, vaidosos… Paulo exorta-os a que vivam unidos, se amem e sejam solidários. Depois confronta-os com o exemplo de Cristo, que desceu ao nosso nível para nos servir, com doçura e humildade. Recorre, para isso, a um hino litúrgico, que cantava a Kenosis (despojamento) de Cristo e a Sua exaltação.
- Jesus não é um servo de Deus a quem o Pai exaltou… Jesus é Deus que Se aniquilou, fazendo-Se servidor dos homens, a fim de lhes alcançar uma vida nova e, depois, de modo singularíssimo, foi exaltado acima de tudo o que existe. A fé na divindade de Jesus não é fruto duma elaboração teológica tardia, pois a epístola foi escrita por volta dos anos 55/56, sendo que este hino litúrgico, nela inserido, é um hino pré-Paulino.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Ó Cristo, que Te humilhaste, obedecendo até à morte de Cruz! Mas o Pai Te exaltou, glorificando a Tua humanidade na Ressurreição e Ascensão; deu-Te o Nome próprio de Deus: Senhor! Ó meu Jesus, Deus e Senhor, invoco-vos com o coração, em uníssono a multidão de todos os crentes em todos os tempos: Meu Senhor! Ao dizê-lo, reafirmo o meu desejo de Te imitar no serviço e entrega aos meus irmãos. Amem.


LEITURA II – Filip 2, 1-11


Irmãos:
Se há em Cristo alguma consolação, algum conforto na caridade,
se existe alguma consolação nos dons do Espírito Santo,
alguns sentimentos de ternura e misericórdia,
então, completai a minha alegria, tendo entre vós os mesmos sentimentos e a mesma caridade, numa só alma e num só coração.
Não façais nada por rivalidade nem por vanglória;
mas, com humildade, considerai os outros superiores a vós mesmos,
sem olhar cada um aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros.
Tende em vós os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus.
Ele, que era de condição divina, não Se valeu da sua igualdade com Deus,
mas aniquilou-Se a Si próprio. Assumindo a condição de servo,
tornou-Se semelhante aos homens.
Aparecendo como homem, humilhou-Se ainda mais,
obedecendo até à morte, e morte de cruz.
Por isso, Deus O exaltou e Lhe deu um nome que está acima de todos os nomes,
para que ao nome de Jesus todos se ajoelhem, no céu, na terra e nos abismos,
e toda a língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.


images/separador-horiz.png

ADOTE UM AGONIZANTE


Como? Basta recitar o Terço da Divina Misericórdia por uma pessoa concreta, em estado terminal, que não teve oportunidade de se abeirar dos Sacramentos em tempo útil.
Esta iniciativa, já muito divulgada em Itália, tem origem na leitura das promessas de Jesus a Santa Faustina Kowalska, que escreve no seu diário:


"Quando entrei na capela, Jesus disse-me: «Minha filha, ajuda-Me a salvar um pecador agonizante. Reza por ele o terço (ou a coroa) que te ensinei».
Ao começar a rezar o terço, vi um moribundo entre terríveis tormentos e lutas. Defendia-o o Anjo da Guarda que, contudo, era impotente face à enorme miséria daquela alma, que uma multidão de demónios aguardava.
Mas enquanto eu recitava o terço, vi Jesus tal como está representado na imagem. Os raios que saíram do Coração de Jesus envolveram o doente e os poderes das trevas fugiram em pânico. O doente morreu em paz.
Quando voltei a mim, compreendi a importância que tem o Terço da Divina Misericórdia rezado junto dos agonizantes: ele atrai a misericórdia de Deus."


Saiba como rezar o Terço da Divina Misericódia.

ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte