Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon

2020-09-20

XXV Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leitura da Epístola de São Paulo aos Filipenses (Filip 1,20c-24.27a)


Ideia principal: Paulo é exemplo para todos os cristãos: renunciou aos esquemas do mundo e dos seus interesses pessoais e converteu-se aos esquemas de Deus.

- São Paulo, quando escreve a Carta aos Filipenses, encontra-se prisioneiro, provavelmente em Éfeso, pelos anos 54.57, durante a demorada estadia nesta cidade no decurso da 3ª viagem missionária. Filipos, no norte da Grécia, foi a primeira cidade europeia a ser evangelizada por Paulo, que sempre nutriu pelos filipenses um afeto especial. A comunidade foi fundada no Verão do ano de 49, pelo Apóstolo, por Silas e Timóteo.

- O Apóstolo não sabe se sairá da prisão vivo ou morto, mas, para ele, isso não é importante. Já trabalhou e sofreu muito pelo Evangelho; começa a sentir o cansaço e o peso dos anos e cada vez mais deseja o encontro com Cristo, a quem dedicou toda a sua vida. Gostaria de morrer para estar sempre com Cristo, mas também gostaria de confirmar na fé as comunidades por ele fundadas. Grande, este dilema…

- A sua disponibilidade para uma ou outra alternativa, é total; numa ou noutra, “Cristo será glorificado”; pende, contudo, para aquela que seja melhor para os fiéis. “Para mim, viver é Cristo”, mas deseja morrer para estar com Cristo. Como quando nós dizemos “a minha vida é o trabalho”… Paulo diz que a sua vida é Cristo. Assim, para ele, a morte é um ganho, porque o unirá para sempre a Cristo que é a sua vida.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Cristo, pedra angular! Perante Cristo, todos os interesses pessoais e materiais do Apóstolo Paulo passam a um plano secundário… Vive de Cristo e para Cristo! Aprenda eu com Paulo, Senhor… Que todos os meus desejos, pensamentos, sentimentos, tenham a sua origem em Cristo e para Ele se dirijam. “para mim viver é Cristo” e o resto é lixo; aquilo que quero para mim é viver em sintonia com o Evangelho de Cristo. Amem.


LEITURA II – Filip 1,20c-24.27a


Irmãos:
Cristo será glorificado no meu corpo,
quer eu viva quer eu morra.
Porque, para mim, viver é Cristo e morrer é lucro.
Mas, se viver neste corpo mortal é útil para o meu trabalho,
não sei o que escolher.
Sinto-me constrangido por este dilema:
desejaria partir e estar com Cristo, que seria muito melhor;
mas é mais necessário para vós
que eu permaneça neste corpo mortal.
Procurai somente viver de maneira digna do Evangelho de Cristo.


images/separador-horiz.png

ADOTE UM AGONIZANTE


Como? Basta recitar o Terço da Divina Misericórdia por uma pessoa concreta, em estado terminal, que não teve oportunidade de se abeirar dos Sacramentos em tempo útil.
Esta iniciativa, já muito divulgada em Itália, tem origem na leitura das promessas de Jesus a Santa Faustina Kowalska, que escreve no seu diário:


"Quando entrei na capela, Jesus disse-me: «Minha filha, ajuda-Me a salvar um pecador agonizante. Reza por ele o terço (ou a coroa) que te ensinei».
Ao começar a rezar o terço, vi um moribundo entre terríveis tormentos e lutas. Defendia-o o Anjo da Guarda que, contudo, era impotente face à enorme miséria daquela alma, que uma multidão de demónios aguardava.
Mas enquanto eu recitava o terço, vi Jesus tal como está representado na imagem. Os raios que saíram do Coração de Jesus envolveram o doente e os poderes das trevas fugiram em pânico. O doente morreu em paz.
Quando voltei a mim, compreendi a importância que tem o Terço da Divina Misericórdia rezado junto dos agonizantes: ele atrai a misericórdia de Deus."


Saiba como rezar o Terço da Divina Misericódia.

ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte