Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon

2020-07-26

XVII Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leitura da Epístola de São Paulo aos Romanos (Rom 8,28-30))


Ideia principal: Sobre que valores alicerçamos a nossa vida? Seguir o caminho e a proposta de Jesus é o valor que deve sobrepor-se a qualquer outro.
- Todo o homem nasce ferido pelo pecado dos primeiros pais, realidade que o marca e condiciona (cf. Rom 1,18-3,20); contudo, Deus, cheio de misericórdia, por Cristo, no Espírito Santo, oferece a possibilidade de alcançar a salvação (cf. Rom 3,21-4,25); Paulo refere, no texto que nos é proposto como segunda leitura, que essa oferta Deus (a salvação) não é circunstancial, mas desde sempre está presente nos Seus desígnios.
- A nossa esperança de salvação é firmíssima, porque temos em nós o Espírito Santo que vem em socorro da nossa fraqueza. É verdade que Paulo admite, noutras passagens, a possibilidade de que os homens não se venham a salvar. Se, porventura, isso suceder, não é por falha de Deus, “que concorre em tudo para o bem daqueles que O amam”; mas apenas por uma opção deliberada e estulta do homem resgatado.
- Na segunda parte do trecho (vs 29-30), Paulo elenca as etapas do caminho que leva à salvação: a predestinação eterna, ou seja, a eleição daqueles que desde sempre Deus conhece, a serem filhos; depois o chamamento à aceitação do Evangelho que é anunciado; a justificação, ou seja, a nova capacidade dada pelo batismo; por fim, a glorificação, o momento em que a nova condição de filhos de Deus se manifesta.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Pai Santo, cheio de paciência e rico de misericórdia, Tu me predestinastes a ser filho no Filho. Não só a mim… é dom gratuito aberto a todos aqueles que acolhem o Teu projeto de salvação. Hoje, como criança deslumbrada, ouvi Paulo narrar a história verdadeira do amor de Deus que está a acontecer na minha vida: desde sempre conhecido, já fui predestinado, justificado e glorificado. Por isso Te dou graças! Amem.


LEITURA II – Rom 8, 28-30


Irmãos:
Nós sabemos que Deus concorre em tudo
para o bem daqueles que O amam,
dos que são chamados, segundo o seu desígnio.
Porque os que Ele de antemão conheceu,
também os predestinou
para serem conformes à imagem de seu Filho,
a fim de que Ele seja o Primogénito de muitos irmãos.
E àqueles que predestinou, também os chamou;
àqueles que chamou, também os justificou;
e àqueles que justificou, também os glorificou.


images/separador-horiz.png

ADOTE UM AGONIZANTE


Como? Basta recitar o Terço da Divina Misericórdia por uma pessoa concreta, em estado terminal, que não teve oportunidade de se abeirar dos Sacramentos em tempo útil.
Esta iniciativa, já muito divulgada em Itália, tem origem na leitura das promessas de Jesus a Santa Faustina Kowalska, que escreve no seu diário:


"Quando entrei na capela, Jesus disse-me: «Minha filha, ajuda-Me a salvar um pecador agonizante. Reza por ele o terço (ou a coroa) que te ensinei».
Ao começar a rezar o terço, vi um moribundo entre terríveis tormentos e lutas. Defendia-o o Anjo da Guarda que, contudo, era impotente face à enorme miséria daquela alma, que uma multidão de demónios aguardava.
Mas enquanto eu recitava o terço, vi Jesus tal como está representado na imagem. Os raios que saíram do Coração de Jesus envolveram o doente e os poderes das trevas fugiram em pânico. O doente morreu em paz.
Quando voltei a mim, compreendi a importância que tem o Terço da Divina Misericórdia rezado junto dos agonizantes: ele atrai a misericórdia de Deus."


Saiba como rezar o Terço da Divina Misericódia.

ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte