Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon

2020-06-21

XII Domingo do Tempo Comum – Ano A


Leitura da Epístola de São Paulo aos Romanos (Rom 5, 12-15)


Ideia principal: O discípulo que dá testemunho da salvação, pode contar com a solicitude e o amor de Deus, situação diferente é a daqueles que escolhem viver para si próprios.
- A carta aos Romanos evidencia “a crise” entre os cristãos de origem judaica para quem, além da fé em Jesus, é necessário cumprir as obras Lei, e os cristãos de origem pagã que se sentem livres em relação aos preceitos mosaicos. Paulo ensina que o essencial não é cumprir a Lei de Moisés – que nunca assegurou a ninguém a salvação; o essencial é acolher a oferta de salvação que Deus faz a todos, por Jesus.
- Paulo recorre a um jogo de oposições entre Adão e Jesus. Desde o início as pessoas pecaram seguindo o exemplo de Adão que desobedeceu e se afastou de Deus. Ao contrário de Adão, Jesus foi obediente ao Pai, até à morte e morte de Cruz. A graça que Jesus nos alcançou pela sua obediência, superou a desgraça atraída pela desobediência de Adão. Assim, por mérito de Cristo, Deus comunicou a todos a Sua própria vida.
- Embora Paulo não aborde o tema do pecado original, a verdade é que este texto o fundamenta solidamente. O CIC, no nº 403, ensina: “Depois de S. Paulo, a Igreja sempre ensinou que a imensa miséria que oprime os homens, e a sua inclinação para o mal e para a morte não se compreendem sem a ligação com pecado de Adão e o facto de ele nos transmitir um pecado de que todos nascemos infetados e que é a morte da alma”.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Senhor, cura a cegueira daquele que continuam a escolher o caminho de Adão, escolhendo-se a si próprios, levando uma vida marcada pelo egoísmo, pela auto suficiência e pela injustiça. Que eu siga Jesus! Já que pelo Batismo me remiste do pecado original e puseste termo à dependência de Adão, que eu faça da vida um dom a Deus e aos irmãos, caminho de vida nova, de vida autêntica, de vida definitiva. Amem.


LEITURA II – Rom 5, 12-15


Irmãos:
Assim como por um só homem entrou o pecado no mundo
e pelo pecado a morte,
assim também a morte atingiu todos os homens,
porque todos pecaram.
De facto, até à Lei, existia o pecado no mundo.
Mas o pecado não é levado em conta, se não houver lei.
Entretanto, a morte reinou desde Adão até Moisés,
mesmo para aqueles que não tinham pecado
por uma transgressão à semelhança de Adão,
que é figura d’Aquele que havia de vir.
Mas o dom gratuito não é como a falta.
Se pelo pecado de um só pereceram muitos,
com muito mais razão a graça de Deus,
dom contido na graça de um só homem, Jesus Cristo,
se concedeu com abundância a muitos homens.


images/separador-horiz.png

ADOTE UM AGONIZANTE


Como? Basta recitar o Terço da Divina Misericórdia por uma pessoa concreta, em estado terminal, que não teve oportunidade de se abeirar dos Sacramentos em tempo útil.
Esta iniciativa, já muito divulgada em Itália, tem origem na leitura das promessas de Jesus a Santa Faustina Kowalska, que escreve no seu diário:


"Quando entrei na capela, Jesus disse-me: «Minha filha, ajuda-Me a salvar um pecador agonizante. Reza por ele o terço (ou a coroa) que te ensinei».
Ao começar a rezar o terço, vi um moribundo entre terríveis tormentos e lutas. Defendia-o o Anjo da Guarda que, contudo, era impotente face à enorme miséria daquela alma, que uma multidão de demónios aguardava.
Mas enquanto eu recitava o terço, vi Jesus tal como está representado na imagem. Os raios que saíram do Coração de Jesus envolveram o doente e os poderes das trevas fugiram em pânico. O doente morreu em paz.
Quando voltei a mim, compreendi a importância que tem o Terço da Divina Misericórdia rezado junto dos agonizantes: ele atrai a misericórdia de Deus."


Saiba como rezar o Terço da Divina Misericódia.

ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte