Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner homepage_icon
2020-02-02

Festa da Apresentação do Senhor
Domingo IV do Tempo Comum – Ano A


Leitura do Evangelho de São Lucas (Lc 2, 22-32)

Ideia principal: A consagração de Cristo recorda-nos que a nossa vida se deve cumprir numa entrega total nas mãos do Pai, para o serviço dos homens e do mundo.
- A Igreja celebra no dia 2 de fevereiro, quarenta dias depois do Natal, a Festa da Apresentação do Senhor. Maria vai a Jerusalém para cumprir a lei da purificação das parturientes (Levítico, 2). Na ocasião, José e apresentam a Deus o seu Filho primogénito, cujo resgate, pago a um sacerdote, podia ser feito noutro local. Eles sabem que o Menino não lhes pertence, são meros depositários de um tesoiro de infinito valor.
- Lucas chama a José pai de Jesus, numa afirmação do seu poder e missão paterna, não da sua ascendência carnal. Também a missão de Maria se precisa: Ela é a serva do Senhor, nada quer para si, mas tudo entrega a Deus, incluindo o destino de seu Filho, Jesus. João a mostrará aos pés da Cruz; Lucas anuncia, desde o “Evangelho da Infância”, uma comunhão íntima de sentimentos entre a Mãe e o Filho.
- Simeão – simeão significa escutador e os Padres gregos dão-lhe o título de Theodóchos [= recebedor de Deus] – veio ao Templo sob o impulso do Espírito Santo. Faz parte dos piedosos do judaísmo que esperavam o Salvador. As palavras e os gestos de Simeão são particularmente sugestivos… Simeão toma Jesus nos braços e apresenta-O ao mundo como “luz para se revelar às nações e glória de Israel”.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Pai Bom, diante de quem hoje, com Jesus Menino, pelas mãos de Maria e sob o olhar José, meu pai, me apresento! Como ensinaste Simeão, ensina-me também a mim a viver movido pelo Espírito Santo, travão da minha natural impetuosidade, da sede de protagonismo, da pretensão de aparecer e de fazer, atitudes que ainda assomam em mim. Pai Bom, ilumina-me e aumenta o desejo de ver-Te na Luz de Jesus! Amem.


EVANGELHO – Lucas 2, 22-32


Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés,
Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor,
como está escrito na Lei do Senhor: «Todo o filho primogénito varão
será consagrado ao Senhor», e para oferecerem em sacrifício
um par de rolas ou duas pombinhas, como se diz na Lei do Senhor.
Vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão, homem justo e piedoso,
que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava nele.
O Espírito Santo revelara-lhe que não morreria antes de ver o Messias do Senhor;
e veio ao templo, movido pelo Espírito.
Quando os pais de Jesus trouxeram o Menino para cumprirem
as prescrições da Lei no que lhes dizia respeito, Simeão recebeu-O em seus braços
e bendisse a Deus, exclamando: «Agora, Senhor, segundo a vossa palavra,
deixareis ir em paz o vosso servo, porque os meus olhos viram a vossa salvação,
que pusestes ao alcance de todos os povos: luz para se revelar às nações
e glória de Israel, vosso povo». O pai e a mãe do Menino Jesus estavam admirados
com o que d’Ele se dizia.


ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte