Confraternidade de Santa Filomena

Recado do Diretor Espiritual

banner

2022-02-13

Domingo VI do Tempo Comum – Ano C


Leitura da primeira Epístola do Apóstolo São Paulo aos Coríntios (1 Cor 15, 12.16-20)


Ideia principal: Se a fé nos diz que pela ressurreição desabrochamos para o Homem Novo, devemos viver na perspetiva dessa vida plena, em Deus, nunca segundo critérios mundanos.
– Continua a catequese sobre a ressurreição que São Paulo iniciou no passado domingo. A ressurreição de Cristo pertencia ao núcleo essencial da fé, ao Kerigma que o Apóstolo transmitiu (1 Cor 15,3) e que os coríntios aceitaram. Contudo, talvez influenciados pelas filosofias gregas que consideravam o corpo o cárcere de que a alma se libertava ao morrer, recuam na aceitação da ressurreição do homem todo.
– Porém, negar a ressurreição dos homens, seria negar a própria ressurreição de Cristo, fundamento da fé cristã. Assim, os cristãos seriam os mais miseráveis de todos os homens enganados por uma pregação que deixaria de se apoiar no facto indiscutível da ressurreição de Cristo. Os Apóstolos pregariam falsidades, os mortos teriam perecido para sempre e os cristãos teriam renunciado em vão aos prazeres terrenos.
– Para explicar melhor o próprio pensamento, Paulo recorre ao exemplo das primícias, isto é, os primeiros frutos que, pela Lei, pertenciam a Deus. Os primeiros frutos não são diversos dos restantes, são apenas os primeiros… Cristo, que assumiu a nossa natureza e nos fez participar da Sua vida divina, é a primícia dos ressuscitados: todos os outros homens que morrem depois d’Ele, seguem-n’O partilhando a mesma sorte.


Rezar a Palavra e contemplar o Mistério


Cristo Senhor, pela Tua ressurreição tornaste-Te o princípio que gera uma nova humanidade sobre a qual as forças da morte não têm qualquer poder. Arrastas conTigo, até à realização plena, à vida definitiva, à salvação total, aqueles que foram em Ti enxertados pelo batismo e, no seu dia a dia, vivem essa pertença. Louvado sejas, ó meu Senhor: nasci de um gesto de amor e hei de encontrar-me com o Amor! Amem.


LEITURA II – 1 Cor 15, 12.16-20


Irmãos:
Se pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos,
porque dizem alguns no meio de vós
que não há ressurreição dos mortos?
Se os mortos não ressuscitam,
também Cristo não ressuscitou.
E se Cristo não ressuscitou,
é vã a vossa fé, ainda estais nos vossos pecados;
e assim, os que morreram em Cristo pereceram também.
Se é só para a vida presente
que temos posta em Cristo a nossa esperança,
somos os mais miseráveis de todos os homens.
Mas não.
Cristo ressuscitou dos mortos,
como primícias dos que morreram.

ConegoArmandoDuarte

Cónego Armando Duarte